Como se conectar com seus filhos

Atualizado: 18 de jul.


Olá! Quero saber se você está mais conectado à rede de "wi-fi" da sua casa do que ao seu filho? Será?


Mas o que é Conexão? Segundo os dicionários, há vários significados para essa palavra e, entre eles, elo, ligação, vínculo, identificação e por aí vai...


A conexão é um princípio básico e, dentro da abordagem da Disciplina Positiva, a aceitação e a importância são os objetivos primários de todas as pessoas e, em especial, das crianças.


E é isso mesmo! Todo mundo quer fazer parte e se sentir importante. A gente quer ter senso de pertencimento e de aceitação, se sentir útil e capaz. Tudo isso é o que faz a gente se iluminar e identificar que, realmente, há uma conexão com o outro e investir nas relações. E com os nossos filhos também é assim. Eles precisam se sentir parte, ouvidos, amados, importantes, úteis e necessários. Quando não há conexão, normalmente, a criança faz algo ou adota algum comportamento, para sentir ou recuperar essa conexão da qual ela sente necessidade. Por isso, as crianças podem reagir com comportamentos equivocados e desafiadores, com o objetivo de chamar a atenção e gerar a conexão com pais ou cuidadores.


Você como pai ou mãe pode achar que tais comportamentos são birras ou até desrespeito por parte das crianças, mas, na verdade, elas estão tentando promover essa conexão, ainda que de uma forma distorcida. Nesses casos, uma boa dica é prestar atenção ao quanto você tem se dedicado aos seus filhos. Lembro que o mais importante do que a quantidade é a qualidade do tempo. Eu sempre trabalhei fora, quando a minha filha era pequena, mas eu aproveitava de corpo e alma o tempo que eu tinha com ela.


Um outro ponto importante, é que, em geral, os pais acreditam que aplicar castigos ou brigar vai mudar esse cenário. Porém, isso é um equívoco, porque punir e castigar não levam à conexão e não funcionam em longo prazo. Ao contrário, afastam nossos filhos e geram hostilidade, distanciamento e reações inadequadas.


Já mencionei antes, mas vale recordar, que vocês, pais, modelam seus filhos, ou seja, são o exemplo para as crianças, o que pode ampliar ou reduzir essa conexão, de acordo com a maneira que vocês se comportam e se comunicam com seus filhos e com seus pares.


Quer ver uma coisa? Vou dar alguns exemplos. Já viram aquela cena típica da mãe que grita assim com os filhos: “Parem de gritar, que eu não aguento mais ouvir essa gritariaaa!!”.


Ou então, um outro exemplo de um pai vendo os filhos brigando e diz: “Vou bater no primeiro que chutar o outro!!”.


Percebem como o discurso não está alinhado ao que os pais, realmente, desejam dos seus filhos? Como esperar que os filhos mudem seus comportamentos se a própria fala dos pais direciona para outro caminho? Onde estão a congruência e a conexão?


Segundo a Disciplina Positiva, a CONEXÃO vem antes da CORREÇÃO, o que faz todo sentido, porque não funciona tentar corrigir, se não há conexão. Por isso, o primeiro passo é perceber se a gente está, de fato, conectado, porque acabamos focando demais na correção e de menos na conexão. E, muitas vezes, minha gente, só se conectar já corrige a rota e muda o comportamento das crianças.


Uma dica bem básica é o “olho no olho” que é uma atitude que demonstra atenção, respeito e carinho com a criança. Olhar no mesmo nível e conversar, usar um tom de voz afetuoso, com volume adequado e ouvir a criança, permitindo que ela se expresse. Você pode se abaixar ou se sentar com a criança, porque o importante é demonstrar que você não está em uma posição de superioridade, porque isso tende a gerar desconexão e medo na criança.


O bacana gente é que a conexão pode ser transmitida por um simples gesto: um carinho no cabelo, um abraço, um aperto de mão, um sorriso, uma piscada de olho e até um curtiu!


O importante é você demonstrar que está ali, vendo de perto e conectado para apoiar a criança, caso ela precise.


Existem vários caminhos pra gente se conectar com nossos filhos, independente da faixa etária da criança, basta você prestar atenção neles e usar a empatia.


Então eu te pergunto, que tal melhorar essa conexão, construindo soluções juntos com seus filhos?


Todo dia você deve ser perguntar se precisa estudar para ser pai ou ser mãe.

Eu vou responder que pais não nascem prontos. E nós estudamos por várias razões: aprender um idioma, passar para a faculdade... Por isso, é importante a gente se aprimorar e eu estou aqui pra apoiar vocês, pais, cuidadores, padrastos, padrinhos, tios, professores... Todos envolvidos e responsáveis pela educação das crianças.


Não se esqueça de que a Academia de Pais Conscientes também está no YouTube, no Instagram, nas plataformas de podcast como o Spotify, Apple, Google , no Telegram e no Facebook.

Deixe seu comentário, curta e se inscreva na lista VIP, pra saber quando eu publicar um artigo novo. Se gostou do conteúdo e fizer sentido pra você, divulgue o Blog da APC para que eu possa alcançar mais pessoas.


Não escolhemos a forma como fomos educados, mas podemos decidir como vamos educar nossos filhos. E você, qual a sua escolha?


Obrigada pela pausa e até o próximo post!

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo